20 de mar de 2012

A DECADÊNCIA E QUEDA DO IMPÉRIO ROMANO DO OCIDENTE


O que levou o Império Romano a ruir foi o conjunto de crises por qual Roma passou nos primeiros séculos depois de Cristo. A partir do século III O Império Romano é o mais popular entre os impérios conquistou dimensões territoriais imensas:

 • começou na Europa Central,
• foi para a Europa Oriental,
• chegou à Ásia e,
• dominou também todo o norte da África.

 Essa imensidão territorial, esse enorme domínio imperial colocava o cidadão romano como:
 • o “Sr. do Mundo”
•o “Sr. do Universo”





Mas um conjunto de crises abateu-se sobre Roma. Essas crises resultaram na destruição do poderoso Império.



1° MOTIVO  -  CRISE ECONÔMICA

 O ESCRAVO ERA A PRINCIPAL FORÇA DE TRABALHO EM ROMA.

COMO SE OBTÊM ESCRAVOS?
·    Por meio das guerras de conquistas - os povos conquistados eram escravizados.
·    Por meio do tráfico de escravos - como ocorreu no Brasil, no período em que a escravidão era legalizada


No Império Romano: a escravidão se reproduzia com as conquistas territoriais, o Império:
·           os soldados marchava com suas legiões por territórios alheios, guerreava e dominava as terras, os povos conquistados eram colocados na condição de escravidão.

POR ISSO:
·            o exército precisava ser cada vez maior, pois era necessário deixar parte dos soldados nas terras conquistadas.

SÓ QUE - O IMPÉRIO ROMANO PARALISOU AS GUERRAS DE CONQUISTA

O Sistema Escravagista foi sendo destruído na sua base
·            desencadeada pelo encarecimento da mão-de-obra escrava.
·            o escravo era a principal força de trabalho em Roma.

ASSIM OS ESCRAVOS
·            tornaram-se escassos e caros.
·      com o escravo caro: - os proprietários de terras têm dificuldade para produzir.

Os grandes proprietários não sofrem muito, mas os pequenos e médios proprietários quebram, encontrando poucas saídas:
* ou eles vendem a propriedade para os grandes proprietários
* ou eles abandonam a propriedade e vão embora para a urbe (=cidade) -
* ou eles resistem até que os grandes proprietários tomem NA MARRA a sua propriedade.

PEQUENOS E MÉDIOS PROPRIETÁRIOS DE TERRAS DESAPARECEM DANDO LUGAR AOS LATIFÚNDIOS (grande propriedade de terra).
 A ECONOMIA DE ROMA, ANTES CARACTERIZADA PELAS CONQUISTAS, PASSA A SER REGIDA PELAS GRANDES PROPRIEDADES: O LATIFÚNDIO

O pequeno e o médio proprietário passam a viver na cidade: em Roma. O Estado Romano, até então, mantinha uma série de benefícios para os cidadãos romanos e os pequenos e médios proprietários, começam a requerer tais benefícios, assim:
·            aumenta muito o número de pessoas que vivem dos benefícios sem trabalhar.
·            a estrutura do Estado Romano não agüenta e  começa a ruir.
·            surgem os problemas: - Violência – Estupros – Doenças.

Aqueles que fugiram do campo tentam retornar ao campo. Mas não encontram mais terras, pois as terras estão nas mãos dos latifundiários

QUEM SÃO OS LATIFUNDIÁRIOS (grandes proprietários de terra)ROMANOS?

·            são os senadores
·            a aristocracia senatorial
·            aqueles que já controlavam as grandes porções de terras

SURGE ENTÃO UM NOVO REGIME DE TRABALHO: O COLONATO

 Colonato é quando uma pessoa arrenda a terra, ou seja, pega uma fração de terra e trabalha nela.
Parte da produção tem que ser entregue para o proprietário da terra em que ele produziu, algo entre 80 e 90% da produção vai toda para o latifundiário.  O colono, que é quem produziu, fica só com um pouquinho.

  Ele torna-se SERVO do latifundiário.



2ª MOTIVO - CRISES NATURAIS E FALTA DE MODERNIZAÇÃO TECNOLÓGICA



No final do século III e da segunda metade do século IV em diante Roma é acometida por um conjunto de crises naturais:
·            invernos muito rigorosos
·            pragas
·            técnicas rudimentares de produção
Essas crises levam a destruição de colheitas, acarretando:
·            a escassez de alimento
·            mais fome
·            mais doença
·            mais violência



3° MOTIVO  -  CRISE SOCIAL: REPÚBLICA = COISA DO POVO
E O SURGIMENTO DO CRISTIANISMO.

A república romana foi-se elitizando cada vez mais, acarretando em diversas revoltas.
·            ocorrências de revoltas de escravos: como a Revolta de Spartacus (Espártaco)
·            ocorrências de revoltas dos campesinos: como a Revolta do Monte Aventino:

A GRANDE IMPLOSÃO DESSA ESTRUTURA
SOCIAL DEU-SE COM O SURGIMENTO DO CRISTIANISMO

A idéia cristã era incompatível com a idéia de escravidão, os romanos perseguiram os cristãos
·            os cristãos eram jogados aos leões nos circos
·            os romanos se divertiam torturando os cristãos
Mas a fé cristã impressionava os romanos
·            aparentemente os cristãos morriam felizes
·            os romanos se espantavam com o comportamento dos cristãos
·            os romanos economicamente menos favorecidos foram, aos poucos, se convertendo ao cristianismo


·            com o tempo, a aristocracia, seguindo o exemplo da plebe, foi convertendo-se ao cristianismo
SÓ QUE os aristocratas não podiam ser colocados na arena, para serem devorados por leões, como era comum fazer com os cristãos.
PORTANTO, há uma mudança de comportamento entre o Império e os cristãos, o que faz com que o cristianismo se instale no Império, mudando a estrutura da sociedade romana. Em 380 o Cristianismo torna-se a religião oficial do Império Romano – através do Imperador Teodósio I.



4º MOTIVO  -  CRISE POLÍTICA E INVASÕES DOS POVOS BÁRBAROS

Inicia-se uma disputa pelo poder:
SENADO X GUARDA PRETORIANA -Militares
As duas instituições começam a enfraquecer e se destruir.

ENTÃO O IMPÉRIO ROMANO COMEÇA A SE FRAGMENTAR

Em 293 - o imperador DIOCLECIANO: determina a TETRARQUIA
·            dividindo o poder em quatro

Em 324 -o imperador CONSTANTINO: Levou a capital de Roma para Constantinopla, para preservar a capital do domínio dos povos bárbaros empenhados em invadir o Império

Em 395, o imperador TEODÓSIO: divide o Império Romano em dois:
·            Império Romano do Ocidente - capital Roma.
·            Império Romano do Oriente - capital Constantinopla.



O Império Romano do Ocidente cai em domínio dos povos bárbaros germânicos que vinham pressionados pelos povos hunos, e começaram a invadir as fronteiras naturais do Império Romano:

DE UM LADO:
·            a legião de romanos segue em direção das fronteiras romanas para barrar os bárbaros germânicos

NO MEIO:
·            os bárbaros germânicos estavam prontos para invadir as terras do Império

DO OUTRO LADO:
·            encontravam-se os hunos que, liderados por Átila, invadiam as terras dos germânicos, pressionando-os em direção das fronteiras romanas




ÁTILA REI DOS HUNOS
Era conhecido como o flagelo de Deus. Era tão boa gente que o povo acreditava que, onde o seu cavalo pisasse nunca mais nascia grama. Com os romanos de um lado e os hunos do outro lado, os germânicos optaram por invadir o Império Romano:
·            Invadiram e destruíram o Império Romano




Nenhum comentário:

Postar um comentário